Instituto Mexicano de Relaciones Grupales y Organizacionales
Mexican Institute of Group and Organizational Relations

AS CONDIÇÕES BÁSICAS QUE CRIAM A NECESSlDADE DO

DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL


(Este texto me foi passado sem citar a fonte, se alguém soube-la favor informar: mauro@conex.com.br)

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE COORDENADORES DE DINÂMICA DE GRUPO / 
PROGRAMA DE FORMACION DE COORDINADORES DE DINAMICA DE GRUPO

As circunstâncias de um mercado em constante mutação e de um produto também em constante mutação são capazes de esmagar qualquer organização empresariaI, se esta organização não estiver preparada para a mudança - na verdade, em minha opinião, se ela não tiver providenciado os procedimentos para antecipar a mudança.     Alfred P. Sloan
Nem os cientistas do comportamento e nem suas teorias, fizeram com que o desenvolvimento organizacional se tornasse necessário. Eles, os cientistas e suas teorias, naturalmente ajudaram, mas não deve haver dúvidas de que Alfred P. Sloan apontou a verdadeira causa: a mudança. Nossas instituições sociais não podem opor-se ou deixar de tomar conhecimento do ritmo assolador de mudança sem alterações fundamentais na maneira pela qual elas lidam com seus ambientes e na maneira como elas conduzem as principais operações de sua empresa. O desenvolvimento organizacional não é algo que seja "bacana" e que se tenha em volta de si, como um dispositivo novo e reluzente ou porque seu sistema de valores se assemelha a nossa ética cristã-judaica. O desenvolvimento organizacional é necessário sempre que nossas
instituições sociais concorrem e lutam pela sobrevivência sob condições de mudança crônica. 

A instituição social que coordena a atividade de quase todas as organizações humanas que conhecemos - industriais, governamentais, educacionais, de pesquisas, militares, religiosas, voluntárias - é conhecida por burocracia. No sentido em que a ela aqui me refiro, a burocracia é uma invenção social que foi aperfeiçoada durante a Revolução Industrial, com o objetivo de organizar e de dirigir as atividades da empresa. Sob as condições do século XIX, a burocracia foi uma resposta adequada, mas tenho a convicção, que é compartilhada por muitos profissionais e estudantes do comportamento organizacional, de que esta forma de organização não pode atender e enfrentar satisfatoriamente realidades do século XX.  De fato, a menos que seja considera e implantada uma revisão fundamental, as organizações encontrarão sérios empecilhos para atingir suas metas, se de qualquer modo elas pretenderem sobreviver.  O desenvolvimento organizacional é uma maneira de agir que capacita a administração a passar a dispor de mais conscientização no que se refere à renovação e à revitalização de modo que respostas novas e mais inovadoras possam ser desenvolvidas pelas organizações que irão se defrontar com a extraordinária turbulência da próxima década. 

O que segue é uma análise pormenorizada da burocracia e porque ela é particularmente vulnerável dentro das condições contemporâneas. Depois disso virá uma identificação dos principais problemas humanos, com os quais a liderança administrativa se defronta, e o papel do desenvolvimento organizacional na facilitação da necessária evolução no sentido de novas formas de vida organizacional. 

A burocracia é formada dos seguintes componentes: 

     Uma bem definida cadeia de comando.
     Um sistema de regras e de procedimentos para lidar com todas contingências que se relacionem com as atividades de trabalho.
     Uma divisão do trabalho baseada na especialização.
     Promoção e seleção baseadas na competência técnica.
     Impersonalidade nas relações humanas. 

É uma disposição em forma de pirâmide, que vemos na maioria dos organogramas. 

O "modelo de máquina" burocrático foi desenvolvido como uma reação contra a subjugação pessoal, contra o nepotismo, contra a crueldade e contra os julgamentos caprichosos e subjetivos que passaram a constituir práticas administrativas durante os primórdios da Revolução Industrial. A burocracia surgiu como decorrência da necessidade que as organizações sentiram de ordem e de exatidão e das exigências dos trabalhadores por um tratamento imparcial. Era uma organização idealmente ajustada aos valores e exigências da Era Vitoriana. E assim como a burocracia surgiu como uma resposta criativa a uma época radicalmente nova, da mesma forma novos esquemas organizacionais devem hoje ser desenvolvidos. 

Primeiramente, tentarei mostrar porque as condições de nosso moderno mundo industrializado levarão à morte da burocracia. Na segunda parte deste capitulo, sugerirei um esboço de modelo da organização do futuro. 

Existem, ao menos, quatro ameaças relevantes à burocracia: 

     Uma transformação rápida e inesperada.
     Um aumento de tamanho onde o volume das atividades tradicionais da organização não é suficiente para sustentar o crescimento. (Diversos fatores passam a prevalecer aqui: "overhead' burocrático, controles mais rigorosos e apertados e impersonalidade devidos a alastramentos burocráticos, regras e estruturas organizacionais superadas).
     A complexidade da tecnologia moderna, onde for exigível integração entre atividades e pessoas altamente especializadas e de competências muito diferentes.
     Uma ameaça basicamente psicológica surgindo de repente de uma mudança no comportamento administrativo. 

Seria útil que se examinasse até que ponto estas condições existem no momento presente. 

UMA TRANSFORMAÇÃO RÁPIDA E INESPERADA

O ponto forte da burocracia é sua capacidade de lidar eficientemente com tudo aquilo que seja rotineiro e previsível nos assuntos que envolvam seres humanos.  É quase suficiente citarem-se as explosões demográficas de conhecimentos para se levantarem dúvidas sobre sua viabilidade contemporânea.  No entanto, muito mais esclarecedoras são as estatísticas que comprovam estas frases supercaprichadas e
superelaboradas: 

A produtividade homem-hora de nossa produção está agora duplicando por volta de cada 20 anos, ao invés de em cada 40 anos, como ocorria antes da II Guerra Mundial. 

Somente o Governo Federal dos Estados Unidos gastou 16 bilhões de dólares em atividades de pesquisa e desenvolvimento durante o ano de 1965; e gastará 35 bilhões por volta de 1980.
 


EXIT  / SALIDA

ii 2016
x 2013

vi 1999